Falta de embalagens plásticas desafia o planejamento das indústrias.

Saiba como sua empresa pode superar este momento sem interromper a produção.

 

A indústria nacional tem sofrido com falta no abastecimento de matérias-primas. Nos últimos meses, são diversos os relatos sobre a falta de insumos e matérias-primas no mercado brasileiro.

No caso do setor plástico, desde o começo do segundo semestre de 2020 há queixas do desabastecimento de uma série de resinas plásticas. Em especial as resinas de polipropileno (PP) que são utilizadas na fabricação de embalagens para brinquedos, utilidades domésticas, artigos de beleza e equipamentos de proteção individual (EPIs) foram uma das primeiras a apresentar falta. Na mesma direção, mas em grau menos acentuado, as resinas de polietileno (PE) de baixa densidade (PEBD) e de Alta Densidade (PEAD), aplicáveis nas embalagens de supermercados e alimentos – inclusive congelados – também seguem a mesma tendência.

São diversos os fatores que explicam a conjuntura atual da falta dos insumos plásticos. Em primeiro lugar, o planejamento feito por produtores de resinas plásticas (petroquímicas) de uma queda significativa da demanda de seus produtos durante a pandemia, não se verificou plenamente.

Outro fator relevante é o fato do mercado nacional de plásticos ser integrado ao mercado internacional de resinas. Como algumas indústrias estrangeiras tiveram sua produção reduzida por conta da pandemia ou mesmo, devido a desastres climáticos, como o Furacão Sally no norte Flórida, região do Golfo do México, (https://economia.uol.com.br/noticias/reuters/2020/09/17/petroleiras-dos-eua-calculam-prejuizos-com-furacao-sally-e-comecam-retomada.htm), houve a necessidade da venda de matérias-primas nacionais para atender a demanda estrangeira.

Estes fatos associados a um dólar bastante valorizado atualmente no mercado brasileiro e a preços internacionais crescentes incentivou os produtores brasileiros a direcionarem ainda mais uma parte expressiva da produção nacional para o exterior (exportação), em especial, de produtos básicos e semiacabados.

Para o mercado interno, especialistas sugerem que o auxílio emergencial concedido pelo governo brasileiro ao longo de pandemia contribuiu de forma decisiva para que a demanda interna se mantivesse (ou, em alguns, casos até aumentasse), em especial, de produtos de básicos, ditos bens de consumo não duráveis. Os bens de consumo não duráveis utilizam intensivamente produtos plásticos e embalagens plásticas flexíveis. Sendo assim, a demanda interna por resinas plásticas se manteve forte frente aos problemas consideráveis na oferta, agravando a escassez da oferta ante a demanda interna.

Mas como garantir que sua produção não seja interrompida por falta de embalagens?

A palavra de ordem nesses momentos é o planejamento. Nesta situação não se pode deixar atingir os níveis de estoques mínimos de meses atrás para então providenciar reposição das embalagens.

Como não se antevê solução a curto prazo, o ideal é antecipar o planejamento de demanda junto a seus principais fornecedores, criando uma programação de abastecimento para ao menos até o final do ano.

Os últimos 3 meses do ano poderão ser difíceis para quem não fizer previsão de demanda junto aos fornecedores para busca por matérias-primas, negociação de valores, aquisição das resinas, produção e distribuição às linhas produtivas. Neste período, o setor de compras das indústrias deverão estar bem próximo aos seus fornecedores para acompanhar as oscilações de mercado e buscar em conjunto soluções e cronogramas que sejam possíveis de serem cumpridos.

Nós da Valpri, por exemplo, temos entrado em contato diariamente com nossos clientes atualizando sobre as condições de mercado e buscando traçar um planejamento eficiente. A ordem é honrar os contratos e jamais comprometer a operação de nossos parceiros.

Para isso, foi estabelecida uma força tarefa interna para atualização diária junto aos fornecedores de resinas, expansão de nossa cadeia de fornecimento, antecipação de compra para pedidos programados, extensão do turno de produção, e alinhamento de programação de produção com cronograma de compra de nossos clientes.

Novos negócios também são bem-vindos, e estendemos os canais de atendimento para absorver as empresas que têm encontrado dificuldades em abastecer suas linhas, sempre de forma clara, transparente e com o máximo de eficiência.

Mais do que nunca, o planejamento e compromisso mútuo guiará a superação da indústria às adversidades.

Precisa de embalagens e quer saber mais sobre a Valpri? Entre em contato conosco por email, telefone ou WhatsApp.

x

Olá, podemos ajudar?

Deixe sua mensagem que nós retornaremos o mais breve possível.